Aug 2012 30

In a House With Unlocked Doors – Parte 2

Por Sharon Mitchell


Foxboro Hot Tubs – Dezembro de 2007

Esta é a história de como a banda do alter-ego do Green Day persegue minha vida – ou assim parece!

Em dezembro de 2007, estava preparando um jantar para 32 pessoas na minha casa, quando algo aconteceu que tirou toda minha concentração. Estava numa conversa com três pessoas no MSN com uma amiga que havia ganhado a promoção do Idiot Club de escultura em abóbora, e ganhou uma das três guitarras autografadas (a minha parece que ficou em quarto!).

20120830-212555.jpgEla entrou em contato com o tour manager da banda, Bill Schneider, sobre a entrega de seu prêmio, e achou que após a entrega do item, ela nunca mais receberia algo dele – ela estava enganada. Esse email lhe deu um link para uma nova banda no MySpacethe Foxboro Hot Tubs – e Bill queria que esse link fosse espalhado e compartilhado. Eu acessei o link que ela me mandou e na hora duas coisas chamaram minha atenção: 1- essa banda soava como o Green Day 2- essa banda NÃO ERA o Green Day. Entre nós, conseguimos 43.000 acessos em um dia, e muitos insultos de pessoas que achavam que estávamos inventando tudo isso.

Alguns dias depois mais itens foram adicionados à página do MySpace. Além das seis faixas gratuitas, onze fotografias foram postadas, fotos aleatórias em preto e branco das décadas de 40 e 50. Um mostrava uma mulher numa mascara de gás empurrando um carrinho de bebê coberto. Este carrinho – o único do tipo, pois a patente não foi cedida – foi feita por um homem numa pequena vila inglesa – hoje com uma população de 4.500 habitantes, mas provavelmente tinha metade disso nos anos da guerra.

Existe somente uma fotografia do carrinho, tirada numa rua a uns 400 metros da minha casa, e o carrinho esta sob os cuidados do Hextable Heritage Society, assim como a fotografia. Eu sou presidente desta sociedade. Tenho as chaves para o gabinete e para o próprio Heritage Center. Outra estranha coincidência.

20120830-212951.jpgE continuaram…o único álbum que o Foxboro lançou foi em 20 de maio de 2008 – meu aniversário. Um ano depois, no meu aniversario de 50 anos, ganhei de presente artes não utilizadas que foram rejeitadas pela banda para o single Mother Mary, e os rótulos originais para o lançamento do vinil com Highway 1 ainda no tracklist e sem sinal de Broadway.

Também fui às duas únicas apresentações do Foxboro fora dos EUA (Manchester dia 31 de outubro e Londres dia 02 de novembro de 209), e foi surreal quando realmente fui para Foxboro ano passado durante minhas ferias na Califórnia. A rua central que passa pelo condomínio Foxboro, de onde a banda tirou seu nome, é a Dartford Street.

Dartford é a cidade onde nasci, menos de três quilômetros de onde moro hoje. No condomínio, uma rua sim outra não, tem nome de uma grande cidade – Canterbury, Manchester, Coventry e Edimburgo são quatro exemplos. Dartford é uma cidade de tamanho médio sem nenhum grande significado além de ser a cidade natal do Mick Jagger e o local onde foi construído um túnel na década de 60 embaixo do rio Thame! A maioria das hidromassagens (Hot Tubs) que eles invadiam eram nessa rua. Estranho né?

Vou escrever sobre o show do Foxboro mais tarde. Tenho muito a dizer sobre o melhor show que já vi.

1 Comentário

  1. Anthonia Bona Armstrong says:

    Hummmmmmmmmm!

Deixar um comentário